Documento sem título
 
 
 
     
Documento sem título
Índice Ultravioleta
 
AlmaNews
 
Notícia - Intolerância à lactose: 7 mitos que precisam ser esclarecidos Intolerância à lactose: 7 mitos que precisam ser esclarecidos

Sabe aquela sensação de que um determinado alimento não "caiu bem"? Barriga estufada, gases, dores abdominais, e até mesmo náuseas e vômitos. Talvez você já tenha sentido algo parecido após as refeições. A maioria das pessoas costuma ignorar o incômodo, como se tudo não passasse de um simples mal-estar. Mas atenção: por trás desses sintomas, pode estar o diagnóstico de intolerância à lactose, condição que merece atenção.

O problema de saúde surge quando o organismo não consegue digerir a lactose, um açúcar encontrado no leite e em outros produtos lácteos, devido à ausência ou deficiência de uma enzima chamada lactase.

Quem sofre com a intolerância à lactose costuma sentir os incômodos gastrointestinais cerca de trinta minutos a duas horas após uma refeição com leite ou derivados, podendo variar de acordo com o organismo e quantidade de lactose ingerida. Dores abdominais, diarreia, gases, inchaço, cólicas e sensação de estufamento são alguns dos sintomas mais comuns.

Mesmo assim, é possível conviver com a intolerância à lactose sem fazer uma dieta radicalmente restrita, equilibrando saúde e sabor durante as refeições. Em primeiro lugar, é preciso confirmar o diagnóstico com um médico e realizar exames específicos em caso de desconfortos recorrentes, principalmente após ingerir derivados do leite.

Separamos alguns mitos da intolerância à lactose que precisam ser esclarecidos agora mesmo. Saiba mais:

Você nunca mais poderá comer derivados do leite?

Quem tem intolerância à lactose não precisa cortar da dieta todo e qualquer alimento derivado do leite. A solução, nesse caso, é a suplementação enzimática, feita com a ingestão de comprimidos prontos para consumo, minutos antes das refeições permitindo que a pessoa possa comer esses alimentos. Isso porque o suplemento contém a enzima lactase, que consegue digerir a lactose.

Perlatte é um comprimido de suplementação enzimática pronto para consumo. A ingestão desta enzima promove a adequada quebra da lactose, com redução do desconforto gastrointestinal, possibilitando o consumo de laticínios em indivíduos intolerantes ou com restrições ao consumo de lactose.

Os comprimidos devem ser tomados minutos antes de ingerir leite e seus derivados (produtos lácteos), melhorando a digestão do açúcar presente no leite. Perlatte é o número 1 em recomendação pelos especialistas pois é a única enzima lactase no Brasil testada e comprovada.

A suplementação enzimática permite que o organismo absorva nutrientes importantes para a saúde e que devem ser mantidos na alimentação, como cálcio, vitamina D, vitamina B12 e proteínas, todos eles encontrados no leite e alimentos derivados.

Todo mundo sabe que tem intolerância à lactose?

Na primeira infância, o organismo conta com uma boa dose de enzima lactase para digerir o leite materno, fonte primária de nutrição dos bebês. Conforme a criança cresce e outros alimentos são adicionados à dieta, ocorre a redução da lactase no intestino, o que pode causar a intolerância. Por isso, é normal desenvolver o problema de saúde ao longo da vida, ainda que muita gente não saiba disso.

Estima-se que três a cada dez brasileiros apresentem desconfortos gastrointestinais - mas apenas 1% dos casos tem o diagnóstico confirmado. Os sintomas, como gases, dores abdominais e diarreia, podem ser confundidos com outras enfermidades e situações. O quadro só é confirmado após a realização de exames médicos.

A confirmação do diagnóstico de intolerância à lactose permite que os pacientes vivam com mais qualidade de vida e conforto, sem dispensar os nutrientes que estão presentes em alimentos lácteos através da suplementação enzimática.

Só leite de vaca contém lactose?

A lactose é, de fato, o principal açúcar presente no leite de origem animal. A questão é que a bebida é a base de muitos outros alimentos que consumimos diariamente, muitas vezes sem nos darmos conta. Queijos, bolos, massas, pães, manteigas, molhos, biscoitos, requeijão e sorvetes e até embutidos (salames e salsichas), são alguns exemplos de produtos que, após consumidos, podem causar dores abdominais, gases e diarreia em pessoas com intolerância à lactose.

O problema passa depois de um tempo?

Na verdade, ocorre justamente o oposto com a intolerância à lactose. É no decorrer da vida que o problema de saúde pode se agravar, com a queda da produção de enzima lactase pelo intestino delgado. Normalmente, o organismo digere melhor o açúcar do leite na infância. Isso muda com o tempo, conforme acrescentamos outros nutrientes e alimentos à dieta do dia a dia, substituindo o leite.

É comum, portanto, que adultos e idosos desenvolvam algum nível de intolerância ao leite e derivados na maturidade. Além disso, doenças intestinais, como a celíaca e a gastroenterite, e cirurgias podem causar a intolerância à lactose no organismo.

A condição não tem uma solução definitiva, mas pode ser aliviada com o uso da suplementação enzimática. A ingestão de Perlatte antes das refeições consegue "quebrar" o açúcar presente nos alimentos lácteos durante a digestão, para que não haja fermentação e desconforto após as refeições.

Além de ter eficácia comprovada cientificamente e contar com a recomendação de médicos e especialistas, Perlatte é acessível e prático em qualquer situação, já que não precisa ser dissolvido. Com essa suplementação, intolerantes à lactose podem consumir alimentos à base de leite normalmente, pois a enzima lactase auxilia na digestão da lactose.

Intolerância à lactose não traz riscos à saúde?

A fórmula mágica, escrita dessa forma, parece simples: se leite e derivados causam desconforto gastrointestinal, basta eliminá-los completamente da dieta, certo? E é isso que muitas pessoas com suspeita de intolerância à lactose acabam fazendo, sem se dar conta dos riscos que a medida pode acarretar à saúde, ainda que em longo prazo.

O leite e seus derivados contêm nutrientes e vitaminas fundamentais para o nosso organismo, como proteínas, vitaminas D e B12, cálcio e riboflavina. A ausência desse alimento na dieta pode levar à desnutrição, perda de peso, perda de massa óssea, cãibras e deficiência de cálcio, entre outras complicações.

Intolerância e alergia ao leite são a mesma coisa?

Alguns sintomas são semelhantes e têm como causa principal o mesmo agente, leite e seus derivados. Mesmo assim, intolerância à lactose e alergia ao leite são condições diferentes, que necessitam de intervenções específicas. Como explicamos anteriormente, a intolerância é causada pela ausência da enzima lactase no organismo, impossibilitando a digestão do açúcar próprio do leite, a lactose.

A alergia, por sua vez, é uma resposta exagerada do sistema imunológico a um corpo que é considerado "estranho" pelo organismo - nesse caso, as proteínas presentes no leite. Com a alergia, o corpo tenta combater as "proteínas agressoras", desencadeando uma série de reações adversas, como diarreia, distensão abdominal, sintomas respiratórios, lesões na pele, gases, entre outros.

Leite não é importante na fase adulta?

O leite é importante em todas as fases da vida, da infância à terceira idade, ao contrário do que muitos acreditam. Rico em cálcio, o alimento cuida principalmente da saúde dos dentes e dos ossos, prevenindo a osteoporose. As proteínas presentes no leite também têm um papel fundamental na formação e manutenção dos músculos, além de melhorar processos de cicatrização do organismo.

Além do mineral cálcio, vitaminas enriquecem o leite e fazem toda a diferença em nossa alimentação, como a vitamina A e a vitamina D, que estimulam o crescimento de ossos fortes e saudáveis. O alimento e seus derivados também contam com vitaminas do complexo B, que estão ligadas ao bom funcionamento do sistema nervoso e à sensação de bem-estar. Ou seja, motivos para consumir o alimento não faltam, basta querer e encontrar a melhor alternativa para a sua dieta.

Fonte: Minha Vida

 
Documento sem título
 
Faça sua busca:
 
Almaderma

História
Nossos Princípios
Lojas
Espaço Café
 
Canais

Delivery
Convênios

Sustentabilidade

Descarte de Medicamento
 
Produtos

Cosmética e Beleza
Florais
Nutracêuticos
Nutrição
Nutricosmético
Saúde
 
Saúde

Índice Ultravioleta
Newsletter
 
Atendimento

Orçamento Online
SAC
Fale com o Farmacêutico
Fale com o Diretor
Trabalhe Conosco
 
A Almaderma apóia:
Alquimilla Farmácia de Manipulação Eireli EPP - CNPJ: 69.313.286/0001-61 - CVMS: 352590401-477-000062-1-1 - AFE: 0.21148.4 - AE: 1.33944.1 - Rua Jorge Zolner, 455 - CEP13201-039 - Jundiaí/SP - Telefone: (11)4583-2222 - Email: marketing@almaderma.com.br - Farm.Responsável: Heloisa Cristina Menegassi Aguiar Gomes - CRF-SP 50.330. Almaderma Farmácia de Manipulação Eireli EPP - CNPJ: 00.873.312/0001-00 - CVMS: 352590401-477-000069-1-2 - AFE: 7.39291.2 - AE: 1.3384436 - Rua Anchieta, 259 - CEP13201-804 - Jundiaí/SP - Farm.Responsável: Ana Paula Gonzalez Pires - CRF-SP 32.446. Nenhuma parte deste website pode ser reproduzido sem nossa permissão escrita. Qualquer dúvida sobre os produtos divulgados em nosso site, contate nosso atendimento ao cliente. Os medicamentos sob prescrição só serão dispensados mediante apresentação da receita ou envio pelo Site, Aplicativo, Fax, E-Mail ou Whatsapp. É proibido comercializar medicamentos controlados por meio remoto. Medicamentos podem causar efeitos indesejados. Evite a automedicação: informe-se com o farmacêutico. Copyright © 2012 - Produzido por FrameSet